carta site2.png

Planaltina, 14 de julho de 2021

QUERIDO/A VOCÊ,

           Primeiramente, agradecemos a sua visita. Sabe que agradecer tem muito a ver com recordar?! Re-cordis: tornar a passar pelo coração?! Escolhi escrever essas palavras para você, porque é isso que eu vou fazer, tornar a passar, pelo coração, as grandes aventuras que temos vivido em 10 anos de existência. Está pronto/a para essa jornada?!

           Ops! Esqueci de me apresentar, não foi?! Eu me chamo Educação e Psicologia: mediações possíveis em tempos de inclusão, e, recentemente, fiz minha primeira década. Comemoramos no maior estilo, você pode ver pelo Youtube e Instagram, os meus presentes para a data. 

           Nasci em março de 2010, e, olha, 10 anos não são 10 dias, são intermináveis encontros de amor e compromisso! Esse meu nome grandão é do tamanho da vontade das pessoas que me fazem; então, é hora de começar! Vamos lá?!

           Tudo começou com um pequeno desejo de pequenas aventureiras e pequeno aventureiro. A Laura, o Tiago e a Aline, estudantes de Licenciatura em Ciências Naturais, queriam montar um projeto que tratasse a inclusão de pessoas com deficiências, transtornos e/ou altas habilidades. Sem orientação, sem rumo, sem planejamento... não dava! Então, pediram ajuda à professora Juliana e eu fui criado. 

           A turma das pioneiras e dos pioneiros se completou com a aderência de grandes amigos/as como Haianne, Daniela, Fabiana, Ludmila, Natacha, Leonardo, Luciana, Paulo, Rose, Gislâine, Letícia… Quanto mais diverso um grupo, mais diversas as ações desenvolvidas, né?! Então, teve de tudo: sala de recurso, jogos digitais, agenda cultural, quadro digital, encontro com egressos/as, curso de desenho…depois, socioeducação, ações comunitárias.... as ações só foram aumentando...

           Ainda lá no comecinho, o Instituto Bancorbrás nos doou o nosso quadro digital. Desde então, essa parceria só cresce! Já ganhamos passagens, hospedagens, parquinho, até telhado já ganhamos! ... Deixa ver, ganhamos ecobags, materiais de papelaria, bolsas de extensão… É apoio que não acaba mais! E esse apoio foi o que nos permitiu realizar vários feitos, como a revitalização da escola Flor do Cerrado e da Casa de Sopa da irmã Celina e várias idas e vindas para congressos e palestras. 

           Comecei trabalhando na Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva; agora, eu sou um mundo véi de possibilidades, eu estou no hospital, nas residências, nas quebradas, nas salas de aula, nas salas de recurso, nos centro de atendimento da mulher, onde me chamarem, eu vou!

O ano de 2014 foi marcado por grandes conquistas. Você acredita que, pela primeira vez, eu contava com membros do ensino médio até a pós-graduação?! Aproveitamos a oportunidade, pra realizar o primeiro encontro do Educação e Psicologia! Já em 2015, um mundo véi de gente colaborou para a escrita do nosso primeiro livro. O lançamento foi de uma chiqueza só. 

           Em 2016, conquistamos o apoio da FAP-DF, a partir do projeto Inclusão, Educação e Psicologia: mediações possíveis na escola e na universidade. Olha, FAP – DF é Fundação de Apoio e Pesquisa do Distrito Federal. Você pode consultar aqui o que a FAP DF faz!

           Foi trabalho por demais fazer essa pesquisa! Ela envolveu muitos grupos de trabalho! Havia gente trabalhando na turma comum, na sala de recursos de Altas Habilidades/Superdotação e na sala de recursos generalista; gente trabalhando no hospital, com atendimento hospitalar; outras pessoas trabalharam com atendimento pedagógico domiciliar e teve um grupo grande que promoveu formação para mais de 100 docentes da Secretaria de Educação do Distrito Federal!

           Tantas ações só foram possíveis pelo financiamento da FAP-DF e o gerenciamento dos recursos pelo pessoal da Finatec, que nos auxiliou  em tudoooo e, agora, é uma parceira inesquecível. Com esses recursos, até o nosso laboratório ficou de cara nova, um brinco!

Em 2017, ganhamos mais um edital da FAP – DF  e mais dois livros saíram do papel, ou melhor, saíram no papel! O primeiro foi o livro  Deixa que minha história eu conto! e o segundo foi Extensão Universitária: inovação educacional e práticas inclusivas

           Nossos sub-projetos se diversificaram e mostram a cara que eu tenho a cada geração de colaboradoras e colaboradores! Nossos três últimos livros contam os nossos últimos cinco anos e o nosso primeiro livro, ele conta os primeiros cinco. Dá uma olhadinha neles.... você vai gostar!

Nós agradecemos muito, muito, muito, a todas as nossas apoiadoras e a todos os nossos apoiadores. Todas e todos são importantes para nós, inclusive aquelas pessoas que não são instituições, mas são tios/tias, primos/primas, pessoas que são amigas da gente e que nos ajudam em todas as ações solidárias que nós fazemos, e, olha, não são poucas!

           Durante toda essa caminhada, não deixamos de fazer ações solidárias. São muitas campanhas que vão desde a arrecadação de recursos e mão de obra para as revitalizações até apoio à cirurgia de colegas. Por isso, somos, imensamente, agradecidas e agradecidos a todas as pessoas que colaboram! Agradecemos pessoas e instituições amigas: muito obrigado!

           Foram muitas aventuras e, se consegui celebrar 10 anos, é porque cresci a partir da aliança de afeto e responsabilidade que construímos juntas e juntos com meus membros, a cada geração, e com cada comunidade que nos acolhe. Como diz o provérbio chinês, “sempre fica um pouco de perfume nas mãos daqueles que oferecem flores”.

 

E aí, vem comigo por mais 10 anos?!

 

Beijinhos de amor,

signature.png
história.png